Após reunião com Bolsonaro, cotado para o MEC diz que quer levar ao Brasil ensino à distância implantado no Paraná

O empresário Renato Feder, secretário de Educação do Paraná e cotado para substituir Abraham Weintraub no Ministério da Educação, se reuniu com Jair Bolsonaro nesta terça-feira, 23. Ao final do encontro, ele disse que Bolsonaro vai avaliar outros indicados para o MEC antes de fazer um convite formal.

“Realmente, a conversa [com Bolsonaro] foi no sentido de conhecer para analisar se eu sou a melhor pessoa para assumir o ministério. Como um bom estadista, acho que a conversa foi nesse sentido de conhecer a história, como foi no Paraná, o que foi feito lá, e a partir daí ele vai tomar a melhor decisão”, disse Feder ao site O Antagonista. 

Dono da empresa Multilaser, gigante nacional do ramo de tecnologia, além de ser herdeiro do grupo Elgin, indústria do ramo de eletrodomésticos brasileira, Renato Feder disse que apresentou a Bolsonaro um de seus principais planos para o MEC, que seria criar uma estrutura na pasta para ampliar o acesso de alunos ao ensino à distância.

“A aula remota deve se basear na rede 3G, que cobre praticamente o Brasil inteiro. É muito mais democrática e limpa [que o wi-fi]. É assim que a gente faz no Paraná, e esse seria um grande passo que o MEC poderia dar. Oferecer estrutura para que as redes consigam dar aos seus alunos aula remota no celular, na rede 3G”, disse ele. 

Fonte do Brasil 247

607 thoughts on “Após reunião com Bolsonaro, cotado para o MEC diz que quer levar ao Brasil ensino à distância implantado no Paraná